REGRA 14 - FALTAS ACUMULATIVAS


 

1. Serão consideradas como "Faltas Acumulativas" todas as faltas Técnicas, Pessoais e Disciplinares (estas quando punidas com cartão amarelo) capituladas na regra nº 12. Cartões amarelos de advertência, que não seja originário de falta ou infração as regras, é de anotação obrigatória na súmula da partida como falta acumulativa da equipe. Quando for o segundo cartão amarelo, não deverá ser anotado como falta acumulativa.
2. As primeiras 5 (cinco) faltas acumulativas, de cada equipe, em cada período de jogo, deverão ser registradas na súmula da partida.
3. Quando os árbitros derem a lei de vantagem, logo após a paralisação devem mandar o anotador registrar uma falta individual e uma acumulativa.
4. Após a 5ª (quinta) falta acumulativa, os árbitros somente darão a lei de vantagem se a equipe tiver uma situação clara de gol.
5. As equipes poderão cometer, em cada período da partida, até 5 (cinco) faltas acumulativas com direito a formação de barreira de atletas.
6. Após uma equipe cometer as 5 (cinco) faltas acumulativas, em cada período do jogo, os tiros livres indiretos, previsto na regra 12, passaram a serem cobrados como tiro livre direto sem direito a formação de barreira, sem levar em consideração o tipo de infração cometida, podendo ser assinalado um tento, diretamente na cobrança deste tiro livre.
7. A partir da 6ª (sexta) falta acumulativa de cada equipe, em cada período de jogo, e vedado à formação de barreira de atletas;
a. Por ocasião da cobrança desses tiros livres será exigido que todos os atletas (exceção do goleiro defensor que deverá ficar dentro de sua área de meta ou penal) coloquem-se obrigatoriamente, metros atrás de uma linha imaginária sobre a bola, paralela a linha de meta, a uma distância de 5 (cinco) metros da bola, não podendo aproximar-se, até que a bola seja movimentada.
b. O executor do tiro livre deverá estar plenamente identificado e, obrigatoriamente, a bola deverá ser acionada diretamente para a meta, com a intenção de assinalar um tento, vedado o passe da bola, em qualquer sentido para atleta da própria equipe.
c. Se o executor do tiro livre identificado não executar a cobrança e em seu lugar outro jogador executar a cobrança, deverá ser punido com um tiro indireto contra a sua equipe e não será marcado falta individual ou acumulativa.
d. O goleiro, dentro de sua área de meta ou penal, deverá respeitar a distância mínima de 5 (cinco) metros da bola.
e. Nenhum atleta poderá obstruir o atleta executante deste tiro livre.
f. Se, na cobrança de um tiro livre sem direito a formação de barreira, algum atleta da equipe defensora, invadir o espaço vazio antes que a bola entre em jogo, respeitada a lei da vantagem, o árbitro advertirá o atleta infrator com a apresentação do cartão amarelo, repetindo a cobrança do tiro livre, se for o caso.
g. Se a invasão do espaço vazio ocorrer por atleta da equipe beneficiada com o tiro livre, antes da bola entrar em jogo, se for convertido em gol, os árbitros mandarão repetir a cobrança e se não for convertido em gol, os árbitros interromperá a partida dando posse de bola para a equipe adversária que reiniciará a partida com a cobrança de um tiro livre indireto no local onde se encontrava a bola para a cobrança da infração.
h. Se após a cobrança de um tiro livre se direito a formação de barreira, o jogador que executar a cobrança cometer alguma infração, será penalizado com a cobrança de um tiro livre indireto contra a sua equipe, colocando-se a bola no local onde ocorreu a infração.
8. A partir da 6ª falta acumulativa, a equipe que cometer qualquer infração na meia quadra adversária ou em qualquer local de sua meia quadra ulterior a uma linha imaginária, paralela a linha divisória e projetada na marca do "Tiro livre sem Barreira" para as laterais. O árbitro determinará que, para a cobrança dessa falta contra a equipe infratora, seja a bola colocada na marca dos 10 (dez) metros.
9. A partir da 6ª (sexta) falta acumulativa ocorrendo à infração na meia quadra da equipe infratora, no espaço entre a marca de 10 (dez) metros e a área de meta ou penal, o atleta que for executar o tiro livre poderá optar pela permanência da bola no local da infração ou colocá-la na marca indicada dos 10 (dez) metros.
10. Quando ocorrer a 5ª (quinta) falta acumulativa, de qualquer das equipes, o anotador avisará um dos árbitros e colocará sobre a mesa, do lado da defesa da equipe uma bandeirinha indicativa da situação.
11. O anotador utilizará plaquetas numeradas de 1 a 5 e as irá erguendo à medida que as equipes forem cometendo suas faltas acumulativas. Esta situação não será exigida quando o placar tiver dispositivo apropriado.
12. Quando, por força do regulamento próprio, uma partida tiver seu tempo de duração aumentado, em prorrogação, as faltas acumulativas das equipes, praticadas no segundo período da partida, terão seqüência na prorrogação.
13. A partir da 6ª (sexta) falta acumulativa ocorrendo a infração na meia quadra da equipe infratora, no espaço, entre a marca de 10 (dez) metros e a área de meta ou penal, o atleta que for executar o tiro livre poderá optar pela permanência da bola no local da infração ou colocá-la na marca indicada dos 10 (dez) metros. A partir da 6ª (sexta) acumulativa os tiros livres indiretos cometidos dentro da área de meta ou penal do infrator, previstos na regra 12, serão penalizados com a cobrança de um tiro livre direto sem direito a formação de barreira, podendo o atleta executor optar em colocar a bola em cima da linha da área de meta e no local mais próximo de onde ocorreu à infração, ou colocá-la na marca dos 10 (dez) metros.

PUNIÇÃO

Por qualquer irregularidade praticada contra esta regra serão adotadas as seguintes medidas:
a. Por infração de atleta da equipe defensora e um tento não tenha sido consignado, deverá ser repetida a cobrança do tiro livre e o infrator advertido com cartão amarelo.
b. Por infração de atleta da equipe atacante e um tento tenha sido assinalado, será anulado o tento e o lance repetido, se a cobrança não resultou em tento, o jogo deve ser paralisado e concedido um tiro livre a favor da equipe adversária com a bola colocado no mesmo local onde a infração foi cobrada;
c. Por infração do atleta que executa o tiro livre, depois de a bola entrar em jogo, a jogada será anulada e se concederá um tiro livre indireto a favor da equipe adversária, no local onde ocorreu à infração.

COMENTÁRIOS A REGRA:

Os árbitros devem, como já foi dito na Regra 12, confirmar com o anotador a marcação de todas as faltas individuais e coletivas, tentos e cartões para que não tenham problemas no decorrer da partida com reclamações principalmente após a marcação da 5ª (quinta) falta coletiva ou individual.
A 5ª (quinta) falta coletiva deverá ser avisada pelo anotador ao árbitro principal que imediatamente notificará ao capitão da equipe de forma clara, para que todos vejam a sua sinalização, evitando assim reclamações quando da marcação da 6ª (sexta) falta, onde a mesma será cobrada sem direito a formação de barreira.
Não permitir que nenhum atleta, com exceção do executante permaneça a menos de 5 (cinco) metros da linha da bola nas cobranças de tiro livre sem direito a formação de barreira, e o goleiro dentro da sua área de meta, respeitando a distância de 5 (cinco) metros da bola.
O atleta executante do tiro livre deverá estar plenamente identificado, principalmente para o goleiro, e a bola deverá ser acionada diretamente para a meta, não podendo ser efetuado um passe, em qualquer direção para jogador da própria equipe.
A partir da 6ª (sexta) falta acumulativa a falta ocorrida entre a linha de fundo (exceção à área de meta) e a marca de 10 (dez) da equipe infratora, o atleta que for executar poderá optar pela permanência da bola no local da infração ou colocá-la na marca de 10 (dez) metros. E a equipe que cometer qualquer infração entre a marca de dez (10) metros e a linha de fundo da equipe adversária, a mesma deverá ser cobrada na marca correspondente a cobrança dos tiros livres sem direito a formação de barreira, 10 (dez) metros.
Nenhum tiro livre sem direito a formação de barreira poderá ser cobrado a uma distância inferior a 6 (seis) metros da trave de meta. Nas quadras de jogo de tamanho reduzido, onde a área de meta tiver 4 (quatro) metros, se a falta for praticada a uma distância inferior a 6 (seis) metros e sem direito a formação de barreira, o árbitro fará respeitar a distância medindo 2 (dois) metros da linha da área de meta para fora, em linha reta do meio da trave de meta em direção ao local onde ocorreu à falta.
a. Nas quadras de jogo com áreas de 4 metros, por ocasião da cobrança dos tiros livres sem direito a formação de barreira, o goleiro deverá permanecer dentro de sua área de meta.
b. Nas quadras de jogo com áreas de 4 metros, os tiros livres com direito a formação de barreiras, poderão ser executados a uma distância inferior a 6 metros.

 

Voltar

Todos os direitos reservados a Federação Roraimense de Futebol de Salão - F R F S